Notícias

11 Abril 2018

Rivais chegam ao clássico sem chama de candidatos

Com o calendário a assinalar a chegada do primeiro terço das 30 jornadas da prova, 1º de Agosto e Petro de Luanda começam a preparar mais um número do clássico dos clássicos do futebol angolano, marcado para as 17 horas de sábado, no Estádio Nacional 11 de Novembro.

Os maiores rivais desportivos do país disputam o jogo grande da décima jornada do Campeonato Nacional da I Divisão, Girabola Zap, separados por cinco pontos na tabela classificativa, mas equilibrados nas contas dos desperdícios, enguiço aproveitado pelo Interclube na criação de uma “almofada de conforto” no comando isolado.
Intermitentes no cumprimento das jornadas, no início da competição, por força do envolvimento nas eliminatórias das Afrotaças, “militares” e “petrolíferos” chegam ao mais aguardado emparceiramento da temporada longe dos níveis competitivos exigidos a equipas identificadas com a discussão do título.
Único representante angolano nas provas continentais, após garantir o regresso na fase de grupos da Liga dos Clubes Campeões, 21 anos depois, o bicampeão nacional 1º de Agosto, orientado por Zoran Maki, está no expressivo 14.º lugar, pela negativa, com oito pontos somados, em cinco partidas disputadas, safra que perfaz a perda de sete dos 15 pontos disputados.
O empate sem golos, diante do Progresso do Sambizanga, e derrota (0-1) na visita à Académica do Lobito, que excepcionalmente jogou no Estádio Nacional de Ombaka, por indisponibilidade do Buraco, são as notas de destaque do “apagão” competitivo dos “militares” do Rio Seco, que chegaram a publicitar futebol com vertigem ofensiva nas eliminatórias da prova continental.
No mesmo registo, os “petrolíferos” do Eixo Viário, comandados por Roberto Bianchi, apesar de conservarem a invencibilidade, já deixaram escapar oito pontos, com quatro empates, dos quais dois consecutivos, a duas bolas diante do Progresso e sem golos na recepção ao Recreativo do Libolo.
A palidez de algumas exibições, como a do segundo tempo da “refrega” com os “sambilas”, levanta dúvidas quanto à força futebolística dos “tricolores”, que seguem num registo semelhante ao do ano de estreia do seu treinador, que corrigiu os sobressaltos do arranque com uma prestação irrepreensível na segunda volta, obrigando o seu arqui-rival a aguardar até às últimas jornadas para voltar a festejar o título, dez anos depois.
O 1º de Agosto tem 12 pontos por disputar, nos jogos com o 1º de Maio de Benguela (fora), FC Bravos do Maquis (casa), Sporting de Cabinda (fora) e JGM do Huambo (casa), enquando o Petro pode somar seis pontos frente ao Kabuscorp do Palanca (fora) e Sporting de Cabinda (casa).
A “armada” rubra e negra está à disposição de Zoran Maki, que pode inclusive rodar alguns jogadores menos efectivos na posição específica, como sucedeu no domingo no Huambo com Jacques, rendido no ataque por Razaq. Já Roberto Bianchi está privado dos préstimos de Wilson, Diógenes e Gomito Fonseca, por lesão, e Job e Toni, castigados.
 
Domínio “militar”
Os resultados entre os dois emblemas, nas últimas dez edições do campeonato, são favoráveis ao 1º de Agosto a jogar na condição de visitado. As estatísticas registam cinco vitórias dos “militares”, dois dos “petrolíferos” e três empates, com dez golos marcados pela equipa do RI-20 e oito do conjunto do Catetão.
Em casa, o Petro de Luan-da venceu quatro vezes, o 1º de Agosto cinco e houve um empate. Nos golos, os números continuam desfavoráveis aos “tricolores”, que marcaram nove e encaixaram 11 dos rubros e negros, que ainda assim são superados no balanço geral do grande clássico, cujo destaque recai para as goleadas de 6-2 e 6-0 aplicadas pela formação do Eixo Viário.
Resta saber se os bicampeões nacionais serão capazes de manter, na era Zoran Maki, a frequência de vitórias criada por Dragan Jovic. Para o Girabola, a equipa do Rio Seco triunfou por 1-0, num desfecho que se revelou decisivo na discussão do título, enquanto os pupilos de Roberto Bianchi venceram por 2-1 na final da Taça de Angola.

 

Fonte: Jornal de Angola

Classificação

Pos Clube Pts
1 Petro de Luanda Petro de Luanda 43
2 Interclube de Luanda Interclube de Luanda 41
3 1º de Agosto 1º de Agosto 40
4 Kabuscorp Palanca Kabuscorp Palanca 39
5 Desportivo da Huíla Desportivo da Huíla 34
6 Académica do Lobito Académica do Lobito 31
7 Sporting de Cabinda Sporting de Cabinda 30
8 Sagrada Esperança Sagrada Esperança 29
9 Recreativo do Libolo Recreativo do Libolo 27
10 Progresso de Sambizanga Progresso de Sambizanga 26
11 FC Bravos do Maquis FC Bravos do Maquis 24
12 Domant FC Domant FC 23
13 Kuando Kubango FC Kuando Kubango FC 22
14 Recreativo da Caála Recreativo da Caála 20
15 1º de Maio de Benguela 1º de Maio de Benguela 19
16 JGM do Huambo JGM do Huambo 3
Patrocinador Oficial ZAP
© 2018 Girabola ZAP. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por

Bitmaker Software