Notícias

1 Outubro 2018

Reforço da disciplina táctica domina fecho da preparação

Com confiança e muita determinação, o 1º de Agosto termina hoje a preparação do jogo frente ao Esperance de Tunis, amanhã às 17h00, no Estádio Nacional 11 de Novembro, referente à primeira “mão” da meia-final da Liga dos Clubes Campeões Africanos de futebol, focado no reforço da disciplina táctica.

A equipa orientada pelo sérvio Zoran Maki ensaia, desde quarta-feira, argumentos para contrariar a força competitiva do Esperance de Tunis, um velho conhecido das equipas angolanas, nomeadamente dos militares do Rio Seco, que têm contas a ajustar com o colosso africano.
“Estamos a trabalhar para anular, principalmente as linhas de passe. Houve muita alegria neste penúltimo treino e amanhã (hoje) vamos concluir, com o foco no aspecto táctico, para não sermos surpreendidos, e depois esperar a hora do jogo. Temos a obrigação de ganhar em nossa casa, à semelhança do jogo passado, embora tivéssemos empatado, mas fomos resolver a eliminatória fora. Mas desta vez não queremos sair daqui sem uma vitória. Queremos ganhar em nossa casa”, assumiu o treinador-adjunto Ivo Traça, no final do treino de ontem.
O bom ambiente reinante no balneário dos tri-campeões do Girabola está estampada numa das paredes do antigo centro de estágio, no ex-RI-20: “Só desiste da luta quem desconhece o sabor da vitória”, enquanto a mensagem ao lado recorda aos integrantes da equipa que “o talento vence jogos, mas só o trabalho em equipa ganha campeonatos”.
Sem se deixar condicionar pelo histórico dos desafios disputados entre as equipas, que dá larga vantagem aos tunisinos, o treinador  mostrou conhecer o adversário. “Essa competição será diferente. Gerações diferentes. O nosso grupo tem estado muito concentrado. Os jogadores têm incutido na cabeça que podem chegar a uma final africana. Conforme se diz na gíria, vamos aproveitar fazer a desforra, mas sem descurar a sua força, porque o Esperance de Tunis é uma equipa muito fria, com um estilo de futebol europeu. Sentimos muitas dificuldades quando jogamos com essas equipas, que sabem jogar com blocos compactos e as linhas muito próximas; equipas rápidas nas transições e muito fortes no jogo aéreo”.
Antiga estrela do clube, Ivo Traça fez uma viagem ao passado e trouxe de lá memórias dos duelos com a formação magrebinas. “Conheço bem esse clube. Quando fui jogador também defrontei o Esperance. Em Angola ganhámos (2-0) e, na segunda “mão”, perdemos lá (0-3), isso em 1992/93. Depois tivemos, em 1998, a final da Taça Mandela. Lá perdemos (1-3) e aqui até tivemos a oportunidade de vencer essa final. Estávamos a ganhar 1-0 e o Assis falhou o penaltie, que daria a vantagem. O caricato é que todos os jogadores se atiraram para o chão e o adversário apanhou a bola, fez o empate e assim foi campeão”.

Prestígio em África
A trabalhar com o grupo completo, excepto os lesionados de longa duração, casos do guarda-redes Neblu e o lateral Natael, numa altura em que o médio ofensivo Nelson da Luz acelera o processo de recuperação, o 1º de Agosto é visto de forma diferente em África. 
“A partir da altura que eliminámos o TP Mazembe, a equipa técnica do Esperance passou a nos prestar mais atenção. Estiveram observadores seus em Lubumbashi, como aqui também têm acompanhado os nossos treinos”, garantiu o porta-voz da equipa técnica dos rubro e negros, que não deixou de olhar para o público: 
“Queremos ter os nossos adeptos connosco. Têm sido incansáveis. Gostaríamos que estivessem terça-feira (amanhã) no estádio, da mesma forma que estiveram no jogo passado. Aproveito dar, uma vez mais, os parabéns às claques do Petro, Interclube e Kabuscorp, que se juntaram para apoiar uma causa que é de Angola. Não vamos defraudar os adeptos”.
Em nome do grupo, o “capitão” Dani Masunguna  disse que a disposição é das melhores. “Nota-se nos treinos. Todos os jogadores estão a corresponder da melhor maneira possível às exigências da equipa técnica. Vê-se no semblante de cada um que estamos todos preparados para o jogo, que será extremamente difícil, diante de mais um adversário de peso ao nível de África. Estamos cientes disso. Mas, com a nossa humildade e o respeito que temos pelo adversário, vamos fazer o nosso jogo, com o objectivo de vencer em casa, porque queremos chegar à final”.

 

Fonte: Jornal de Angola

Classificação

Pos Clube Pts
1 1º de Agosto 1º de Agosto 57
2 Petro de Luanda Petro de Luanda 57
3 Kabuscorp Palanca Kabuscorp Palanca 47
4 Interclube de Luanda Interclube de Luanda 45
5 Recreativo do Libolo Recreativo do Libolo 41
6 Académica do Lobito Académica do Lobito 41
7 Sagrada Esperança Sagrada Esperança 38
8 Desportivo da Huíla Desportivo da Huíla 37
9 Progresso de Sambizanga Progresso de Sambizanga 36
10 Sporting de Cabinda Sporting de Cabinda 35
11 FC Bravos do Maquis FC Bravos do Maquis 35
12 Recreativo da Caála Recreativo da Caála 34
13 Kuando Kubango FC Kuando Kubango FC 28
14 Domant FC Domant FC 28
15 1º de Maio de Benguela 1º de Maio de Benguela 22
16 JGM do Huambo JGM do Huambo 3
Patrocinador Oficial ZAP
© 2018 Girabola ZAP. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por

Bitmaker Software