Notícias

7 Março 2018

1º de Agosto sem desculpas para eventual descalabro

Liga dos Clubes Campeões Africanos em futebol

Sem as limitações disciplinares que impedem a utilização de atletas considerados influentes, no Girabola, o 1º de Agosto defronta hoje às 16h00, no Estádio Nacional 11 de Novembro, com arbitragem do camaronês Antoine Max Effa Essouma, auxiliado por Elvis Guy Nguegoue e Ernest Nkeniji Ekokobe, o Bidvest Wits da África do Sul, na derradeira eliminatória de apuramento para a fase de grupos da Liga dos Clubes Campeões Africanos em futebol.

A primeira preocupação dos militares do Rio Seco é criar vantagem na disputa do acesso à etapa seguinte da prova. Mas, para tal, estão obrigados a lavar a cara, depois das exibições desgarradas no início da defesa do título nacional, com o saldo de um empate sem golos frente ao Progresso Sambizanga, e a derrota por 0-1, na visita ao reduto da Académica do Lobito.
O cenário competitivo é outro. Natael, Geraldo e Nelson Luz, jogadores castigados pela Federação Angolana, por faltarem à chamada do seleccionador nacional, estão à disposição da equipa técnica comandada por Zoran Maki. Apenas o lateral esquerdo Paizo, por lesão, continua fora das opções.      
Garantir a presença na etapa na qual as equipas são compensadas financeiramente pela Confederação Africana, a cada ponto conquistado, parece ser a prioridade nas apostas da direcção do clube encabeçada por Carlos Hendrick da Silva, que reforçou o plantel com jogadores experientes, casos de Jacques, Mongo, Isa e Razak.
Para ultrapassar o campeão sul-africano, o 1º de Agosto tem de recuperar a sua vertigem ofensiva, qualidade não sentida nos dois jogos disputados no Girabola. A equipa rubra e negra foi sempre previsível no ataque à baliza adversária, revelando-se incapaz de pisar os últimos 30 metros de campo com segurança na posse e circulação da bola.
A explicação encontrada é a mudança de jogadores, mais de metade da equipa. Hoje, num contexto competitivo diferente, Maki pode utilizar o “onze” formatado para a prova, quadro que pode criar um maior equilíbrio na disputa com o Bidvest Wits, formação que tem a vantagem de estar numa fase mais adiantada da época futebolística, por contar já com 23 jogos realizados no seu campeonato.
Inferiores no porte físico, os militares estão obrigados a apostar na velocidade e no encurtar das linhas de passe, caso queiram sair de Luanda com um resultado prometedor, uma vez a eliminatória ser decidida fora de portas, à semelhança da ronda anterior, por força da inferioridade no ranking. Os médios criativos, Ibukun e Buá, têm de actuar como verdadeiros faróis na condução da equipa. Os flanqueadores, Isaac, Natael, Nelson Luz e Geraldo, são chamados a municiar Jacques, a principal referência ofensiva, apoiado por Mongo no ataque à baliza.
Bobó e o “capitão” Dany Massunguna devem estar preparados para o choque físico com os avançados do Bidvest Wits, bem dotados tecnicamente. Jogar na antecipação, sem permitir a execução de acções no espaço entre linhas, evitando as bolas colocadas nas costas da cortina defensiva.  
Em entrevista à Angop, ontem no final do último treino,  Ivo Traça, técnico-adjunto, afirmou que a equipa está moralizada, apesar do mau começo a nível interno. 
“Treinámos os aspectos inerentes às características do adversário. Estamos preparados para encarar o jogo com muita responsabilidade”, disse o antigo jogador dos militares e dos Palancas  Negras.
Orientados por Gavin Hunt, os estudantes, nome pelo qual são tratados os jogadores da equipa sul-africana, querem resolver parte da eliminatória já nos domínios do campeão angolano, que consideram ser muito competitivo, sobretudo nas transições ofensivas.
A oitava posição, com apenas 29 em 69 pontos disputados na Liga da África do Sul, num registo de 7 vitórias, 8 empates, 8 derrota, 21 golos marcados e 24 sofridos, pode passar a imagem de certa fragilidade do opositor do 1º de Agosto, quando a prática mostra que tem maior andamento.

 

Fonte: Jornal de Angola

Classificação

Pos Clube Pts
1 1º de Agosto 1º de Agosto 13
2 Petro de Luanda Petro de Luanda 11
3 Progresso de Sambizanga Progresso de Sambizanga 9
4 Interclube de Luanda Interclube de Luanda 8
5 FC Bravos do Maquis FC Bravos do Maquis 7
6 Sagrada Esperança Sagrada Esperança 7
7 Recreativo do Libolo Recreativo do Libolo 6
8 Desportivo da Huíla Desportivo da Huíla 6
9 ASA ASA 5
10 Kuando Kubango FC Kuando Kubango FC 5
11 Kabuscorp Palanca Kabuscorp Palanca 5
12 Académica do Lobito Académica do Lobito 5
13 Santa Rita de Cássia FC Santa Rita de Cássia FC 4
14 Sporting de Cabinda Sporting de Cabinda 4
15 Saurimo FC Saurimo FC 4
16 Recreativo da Caála Recreativo da Caála 4
Patrocinador Oficial ZAP
© 2018 Girabola ZAP. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por

Bitmaker Software