Notícias

3 Setembro 2018

1º de Agosto faz história na conclusão do Girabola

E assim se fez história! O 1º de Agosto voltou a conquistar três títulos consecutivos no Girabola, 37 anos depois da proeza protagonizada pela equipa orientada por Joaquim Dinis “Brinca N’areia”, que tinha Ndungidi Daniel como expoente máximo.

Ontem, no Estádio Nacional 11 de Novembro, os pupilos do sérvio Zoran Macki, treinador muito contestado na primeira parte da época futebolística, dada a falta de consistência das exibições e constância dos resultados, confirmaram o tão desejado tri-campeonato, mercê da vitória (1-0), diante do Cuando Cubango FC, adversário que se apresentou em Luanda com arreganhos de “tomba gigante”, quiçá em defesa da verdade desportiva, a frase mais recitada nos últimos oito dias.
A falta de eficácia do ataque da equipa militar do Rio Seco atrasou a festa dos adeptos, porque a resistência prometida pela formação de Menongue ficou apenas na intenção, já que, com a bola a rolar, o domínio dos anfitriões acabou por transformar o jogo em disputa de sentido único. Feito espectador, Tony Cabaça foi visto a fazer alongamentos, para se manter aquecido entre os postes.
O golo de Jacques, aos 14 minutos, acabou por ser o prémio justo, pela entrega da equipa comandada em campo por Dany Masunguna e Bobó, os esteios da melhor defesa da competição, distinguida por encaixar apenas oito golos, em 28 partidas disputadas, contra os 12 em 30 jornadas do campeonato passado.
Causticados fisicamente, depois da maratona de jogos em pouco tempo, os rubro e negros chamaram a si o controlo dos acontecimentos, assim que o árbitro Benjamin Andrade apitou para o início do desafio. A vontade de vencer e festejar a conquista do título foi o bálsamo que acalmou as dores musculares, notadas sobretudo no segundo tempo.
Depois de falhar a consagração na visita à cidade do Dundo, ao empatar (2-2), frente ao Sagrada Esperança, o 1º de Agosto respondeu à última chamada com o melhor “onze” utilizado na época. Mingo Bile, um dos mais experientes do balneário, a par do “capitão” Masunguna e de Tony Cabaça, foi a única alteração. Paizo, Show, Mário, Ibukun, Mongo e Geraldo completaram a equipa.
O desafio de Zoran Macki era evitar que o percurso vitorioso iniciado pelo bósnio Dragan Jovic, bi-campeão, acabasse frustrado como as outras duas vezes em que o clube ficou à beira da terceira conquista seguida, em 1991/92, com Dusan Kondic, e 1998/99, com Ndungidi Daniel. Num ano atípico, pelo passo apressado do Girabola, cujo regresso está marcado para Outubro, os militares foram os mais regulares.
Ao totalizar 57 pontos, menos oito em relação ao ano transacto, o conjunto das Forças Armadas Angolanas superou o arqui-rival Petro de Luanda, travado no 22 de Junho, pelo Sagrada, que rejeitou o convite de passeio na capital, impondo um empate a uma bola. 

Breve repouso

O fim do Girabola está longe de representar o encerramento da temporada para os militares, que conhecem hoje o adversário nos quartos-de-final da Liga dos Campeões Africanos. Os colossos Al Ahly (Egipto), Wydad Casablanca (Marrocos) e TP Mazembe (Congo Democrático) podem atravessar o caminho do representante angolano.
Com 12 empates, o 1º de Agosto mostrou pouca força no ataque, ao marcar 31 golos, contra os 43 do Girabola 2017. Jacques, avançado transferido do Kabuscorp do Palanca, para render o cabo-verdiano Rambé, ficou aquém dos dois dígitos. Foi o melhor marcador da equipa, com oito tentos, enquanto Razaq, ponta-de-lança nigeriano, foi mais útil nas acções colectivas.
No ano da afirmação de Show, médio defensivo formado no clube, Mário, outro talento forjado em casa, acabou por ser o grande achado dos campeões nacionais. A chamada aos Palancas Negras vem pontuar o bom desempenho do jovem atleta, que, em campo, espalha perfume de futebol fresco.

Fonte: Jornal de Angola

Classificação

Pos Clube Pts
1 Progresso de Sambizanga Progresso de Sambizanga 4
2 Saurimo FC Saurimo FC 4
3 Petro de Luanda Petro de Luanda 4
4 1º de Agosto 1º de Agosto 4
5 Kabuscorp Palanca Kabuscorp Palanca 4
6 Sagrada Esperança Sagrada Esperança 4
7 Recreativo da Caála Recreativo da Caála 3
8 Académica do Lobito Académica do Lobito 3
9 FC Bravos do Maquis FC Bravos do Maquis 1
10 Desportivo da Huíla Desportivo da Huíla 1
11 ASA ASA 1
12 Interclube de Luanda Interclube de Luanda 1
13 Recreativo do Libolo Recreativo do Libolo 1
14 Kuando Kubango FC Kuando Kubango FC 1
15 Santa Rita de Cássia FC Santa Rita de Cássia FC 0
16 Sporting de Cabinda Sporting de Cabinda 0
Patrocinador Oficial ZAP
© 2018 Girabola ZAP. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por

Bitmaker Software