Notícias

13 Janeiro 2020

1º de Agosto e Petro ficam dependentes de terceiros

A presença dos embaixadores angolanos, 1º de Agosto e Petro de Luanda, nos quartos-de-final da Liga dos Clubes Campeões Africanos de futebol, passou a estar dependente dos resultados dos comandantes dos respectivos grupos nos jogos frente aos seus adversários na disputa do apuramento.

Já qualificado no Grupo A, com 10 pontos somados, o TP Mazembe do Congo Democrático pode jogar uma cartada favorável aos militares do Rio Seco, caso consiga pelo menos empatar no reduto do Zamalek do Egipto, no dia 25, para a quinta jornada.

Mas os tetra-campeões do Girabola, às ordens de Dragan Jovic, têm de vencer na visita aos zambianos do Zesco United, terceiro, dois pontos, por forma a chegarem à última ronda com cinco e discutirem o passe no frente-a-frente com os egípcios, segundos, sete pontos, no Estádio Nacional 11 de Novembro, no encerramento da fase de grupos.
No Grupo C, os tricolores do Eixo Viário, orientados por Antonio Cosano, podem chegar aos cinco pontos, diante do Mamelodi, líder apurado, após chegar aos 10. O apuramento da equipa do Catetão passa por contas mais complexas, por depender de dois deslizes do Wydad Casablanca de Zoran Maki, que precisa somente de uma vitória para arrumar a discussão da passagem, com nove, porque os actuais comandantes do Campeonato Nacional chega aos oito, se vencerem os próximos desafios.
O USM da Argélia, terceiro, dois pontos, faz as mesmas contas, sempre a depender dos sul-africanos. Apesar do quadro desfavorável, o Petro tem hipóteses matemáticas de disputar a etapa a eliminar da prova continental, facto que contraria o cenário fatalista pintado pela avaliação realista, com base na força competitiva dos adversários.

Última jornada confirmou diferença de ritmo

No quarto jogo entre ambos, desde Setembro de 2018, o 1º de Agosto perdeu (1-2) frente ao TP Mazembe, em Lubumbashi. O golo de Mabululu, nos instantes iniciais, confirmou a dimensão africana dos rubro e negros, avaliados em baixa por detalhes, que fazem a diferença na discussão dos resultados.
A mesma apreciação aplica-se ao Petro, travado em casa pelo Wydad, com o empate (2-2). O ritmo forte imprimido no primeiro tempo não teve amparo no regresso do intervalo, muito por força da descontinuadade do Girabola, facto que obrigou à observância de um período de duas semanas sem competição, a seguir à terceira ronda da prova continental.
Porém, o desacerto do calendário definido pela Federação e os clubes podia ser atenuada por um acerto entre as direcções dos representantes angolanos, para a disputa de um amistoso inserido nos festejos dos 40 anos da agremiação petrolífera, a serem assinalados amanhã. Os congoleses democratas estagiaram na Zâmbia e os marroquinos realizaram dois jogos do seu campeonato.
A diferença de intensidade da prova interna é outro factor de peso na avaliação do desempenho dos dois colossos nacionais, na grande montra do futebol do continente. Falta aos clubes identificar, com realismo, os objectivos a que se propõem, visto ser vago apontar a presença nos quartos-de-final, sem a sustentação do investimento em jogadores capazes de fazer a diferença.
As equipas angolanas estão aquém dos opositores, quer no valor nominal como no real. O discurso de dirigentes e treinadores contraria a abordagem feita em competição, visto que o foco continua a ser a conquista do título da competição interna.
O excesso na projecção das capacidades do 1º de Agosto e do Petro de Luanda alimenta o cenário de frustração dos sócios e adeptos, ávidos de ver as equipas nas fases de decisão dos troféus africanos. Os militares vivem do sucesso de há dois anos, mesmo com a saída de Geraldo e Show, activos por substituir à dimensão da importância assumida no percurso de sucesso.
Afastados há 18 anos da elite continental, os petrolíferos parecem tentados a trocar o processo de habituação ao espaço competitivo, pela vontade de conquista de feitos ainda por matutar com investimentos e melhoria da exigência da prova interna. O quadro dos dois clubes acaba por reflectir a realidade do país, cuja Selecção Nacional colecciona derrotas.

Fonte: Jornal de Angola

Classificação

Pos Clube Pts
1 Petro de Luanda Petro de Luanda 47
2 1º de Agosto 1º de Agosto 45
3 FC Bravos do Maquis FC Bravos do Maquis 40
4 Interclube de Luanda Interclube de Luanda 30
5 Académica do Lobito Académica do Lobito 30
6 Desportivo da Huíla Desportivo da Huíla 29
7 Recreativo do Libolo Recreativo do Libolo 29
8 Sagrada Esperança Sagrada Esperança 28
9 Williet S.C Williet S.C 28
10 Recreativo da Caála Recreativo da Caála 24
11 Sporting de Cabinda Sporting de Cabinda 22
12 Kuando Kubango FC Kuando Kubango FC 19
13 Ferrovia do Huambo Ferrovia do Huambo 19
14 Progresso de Sambizanga Progresso de Sambizanga 19
15 Santa Rita de Cássia FC Santa Rita de Cássia FC 13
16 1º de Maio de Benguela 1º de Maio de Benguela 9
Patrocinador Oficial ZAP
© 2020 Girabola ZAP. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por

Bitmaker Software